Monthly Archives: Dezembro 2017

4 e 1/2

Os dias passam tranquilamente, talvez porque o frio nos submete a umha espécie de estado de letargo em que poucas cousas apetecem mais do que sair do calor da cama de manhá cedo (a essas horas em que manhá e noite ainda som sinónimos) ou talvez porque as rotinas acabam por nos impor o seu próprio ritmo sem tempo para o lazer. Ou, talvez ainda, porque os fusos horários sempre ajudam a que o tempo passe mais rápido e porque eu nom deixo de pensar-te e, no fundo, é como se ainda estivesses aqui. Estás, sempre, porque estar é na alma e a falta compensa-se com pequenas cousas (palavras, vozes, imagens, lembranças) que adquirem agora umha dimensom diferente: usar a tua camisa, pôr-me bonita para ti, pintar os lábios, ver um filme depois das aulas de francês, ler poesia, dormir com o teu pijama, tomar o café na caneca verde, habitar entre as tuas cousas ou saber que tens tantas saudades como eu no mesmo momento que eu.